"Agrada-te do Senhor, e Ele satisfará os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais Ele fará." Sl37: 4-5















domingo, 15 de abril de 2018

Voltando das férias


Olá gente, eu dei uma sumida, não é? Eu estava no Brasil. Fui visitar a família e resolvi me desligar um pouco do mundo. Continuei trabalhando pq isso não teve jeito, mas fiquei um pouco longe da internet.
Os dias foram intensos, não deu pra ver todo mundo que eu queria mas eu curti bastante.
Tive até vontade de passar mais tempo lá. Eu acho que a idade está pesando nisso, pq quanto mais o tempo passa eu vejo o quão distante eu estou da família.
Claro que a gente se vê e se fala com frequência, mas não é a mesma coisa.
Quando chegamos no Canadá minha filha resumiu o que eu estava sentindo. Ela disse que estava muito feliz de voltar para o Canadá e muito triste de sair do Brasil. É bem isso mesmo, o coração vai ficar para sempre dividido.
Eu tive a oportunidade de passar um tempo com a minha avó paterna, que já passou dos 90 anos e fiquei com o coração apertado de não estar aproveitando mais da presença dela,
Uma noite, quando voltávamos de uma rodada de caranguejos da casa de uma tia, minha filha ficou abraçando ela e me disse em inglês: Mãe, eu amo tanto a minha bisa, eu amo tanto... eu não quero que ela morra nunca!
Momentos assim e muitos outros que minha filha teve com os avós do meu lado deixaram o meu coração apertado. Mas ao mesmo tempo eu sei que estamos em um lugar mais seguro e com o custo de vida mais baixo que o Brasil... como as coisas lá são absurdamente caras! 
Outra coisa impossível de não reparar foi o clima! Logo que abriram a porta do avião eu senti aquele bafo quente que me disse que eu estava na Bahia :) Senti muuuuuito calor!!! Eu já saia do banho, gelado diga-se de passagem, suando. Dormia no ar condicionado pq até o ventilador era de vento quente, mas amei mergulhar no mar e andar de short e havaianas.
Eu vivi a maior parte da minha vida com pouco roupa e não me acostumo a usar um monte de roupa no inverno. As vezes está 5 graus e eu coloco uma blusa de manga e jaqueta jeans... eu sinto frio, mas eu não me acostumo aos casacos pesados.
Chegar no Brasil é uma libertação das roupas :)
Se os brasileiros cuidassem do Brasil não exisitiria no mundo um país melhor para se viver e mais lindo. A verdade é que a grama do vizinho é sempre mais verde que a nossa, mas o Brasil é lindo demais!
Uma semana abençoada para todos nós.



domingo, 18 de março de 2018

Três dias longe de tudo!


Olá gente, desculpa o sumiço, mas os dias têm sido corridos!
Depois da mudança para o novo escritório - por sinal eu estou amando a nova localização - eu fui convidada para um retiro da igreja no final de semana passado. Foi um retiro de líderes sobre visão, no sentido de projeto de vida e projeto ministerial.
Fomos para uma ilha lindíssima e ficamos lá por 3 dias nos concentrando somente em nos aperfeiçoar ministerialmente em Deus.
Foi um daqueles momentos especiais que você percebe que a vida vai além das nossas preocupações, problemas, empregos, enfim, vai muito além do nosso mundinho.
Nós temos a tendência de imaginar que o mundo gira em torno de nós e quando nos permitimos ouvir outras histórias ou abrimos os nossos corações para entender a dor do próximo passamos a enxergar as coisas por um outro ângulo, com a perspectiva do amor de Deus por nós.
Eu sei que eu preciso trabalhar, que eu preciso me preocupar com dinheiro, conta e coisas materiais, mas eu tento me conscientizar cada vez mais que eu preciso dar valor para as coisas que de fato tem valor. E olhando com a perspectiva de Deus, as pessoas têm um valor imensurável.
Eu ouvi testemunhos impactantes! Uma mãe buscando em Deus superar a perda recente de um filho, um jovem lutando contra a esquizofrenia, um outro jovem lutando contra o câncer, enfim, eu vi gente  enfrentando dificuldades muito maiores do que as minhas.
No sábado a noite o pastor colocou um filme para assistirmos chamado Temple Grandin, a história de uma mulher que conseguiu superar as dificuldades do autismo e se tornou uma profissional nacionalmente reconhecida. A minha filha estava assistindo comigo e ela foi bem tocada. Quando o filme terminou ela me abraçou e disse: Mommy, eu vou fazer que nem ela. Eu vou lutar até conseguir :) Para quem não sabe, a minha princesa tem dislexia e enfrenta muitas dificuldades na escola. 
Como Deus é bom. Ele me levou para o retiro mas trabalhou não somente em mim, mas em toda a minha família.
Foram 3 dias intensos e maravilhosos que serviram para recarregar as minhas baterias espirituais. Se desligar do mundo de vez em quando é necessário para que a gente olhe as situações com outros olhos.

Deixo pra vcs um video do lugar... lindo!!!
Desejo uma semana de vitória para todos nós!




domingo, 25 de fevereiro de 2018

O novo escritório


Olá gente, como vocês estão? Espero que bem!
Por aqui tem nevado nos últimos dias e as ruas estão bem branquinhas. Hoje derreteu bastante porque fez um lindo dia de sol, mas ainda tem muita neve pelas ruas.
Mas eu não vim aqui pra falar do clima da cidade, apesar de que isso é um ponto importante no meu dia-a-dia. Eu vim contar para vocês que estou mudando de escritório essa semana.
Quando eu comecei a trabalhar como consultora de imigração ano passado eu não tinha a mínima condição de arcar com os custos altos de um escritório em Vancouver. Na minha cabeça eu iria trabalhar de casa por um bom tempo antes de partir pra uma sala própria. Mas Deus sempre nos surpreende e cuida das nossas vidas nos mínimos detalhes.
Eu fui apresentada a uma pessoa que estava começando uma empresa em Vancouver e essa pessoa – um anjo enviado por Deus para aquele momento da minha vida – me ofereceu uma sala por um preço de mãe pra filha.
Assim comecei a trabalhar em um escritório na Robson St e foi assim que as coisas foram acontecendo. O meu Deus abriu o escritório, o meu Deus colocou parceiros maravilhosos para trabalhar comigo e o meu Deus tem cuidado de cada passo que eu tenho dado.
Chegou a hora de partir para um novo local e mais uma vez eu sei que Deus está no direcionamento da minha vida.
Muitas coisas acontecem, as vezes as tempestades escurecem o nosso dia, mas não podemos esquecer que para aqueles que creem existe uma mão sobrenatural trabalhando em nosso favor.
O inimigo das nossas almas por diversas vezes tem tentado me destruir ou abalar a minha fé. Ele usa situações e até mesmo pessoas ao meu redor para me entristecer e me fazer desistir. Eu até me entristeço profundamente e tenho dias de mau humor e irritação, mas basta eu elevar os meus olhos para os montes que eu sei de onde vem o meu socorro... O meu socorro vem do Senhor, o Criador dos céus e da terra... E o meu Deus não dorme e não volta atrás na Sua palavra, porque Ele é fiel para cumprir o que nos prometeu.
Deus é bom, meus amigos blogueiros! Deus é muito bom!
Que a nossa semana seja uma semana abençoada, cheia de vitórias em nome do Senhor Jesus.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Mix dos ultimos dias

Amanhã é feriado aqui no Canadá e esse final de semana deveria ser um final de semana prolongado. Eu estava até com planos de ir para Seattle com a família, mas acabei tendo uma forte crise de garganta.
Dizem que quem passa por uma quimioterapia nunca tem a saúde 100% restabelecida e eu estou começando a acreditar nisso.
Minha imunidade não é das melhores e a alteração de clima não ajuda.
A boa notícia é que diferente do ano passado esse ano British Columbia já está com uma temperatura acima dos 5 graus em pleno mês de fevereiro. O sol já está aparecendo e estamos com clima de primavera.
Eu li o post de uma amiga que dizia algo assim: Basta um dia de sol para que eu me apaixone por vc de novo Vancouver :)
E é mais ou menos isso mesmo. Eu passei o outono e inverno pensando em como será o meu futuro, pra onde ir, onde morar, já que eu não consigo me ver envelhecendo num lugar muito frio e chuvoso... mas basta o sol aparecer e a temperatura subir pra lembrar o pq eu gosto tanto daqui.
Eu acho que é bem como mulher na hora do parto (normal), que na hora da dor jura com toda convicção que não terá mais filhos, mas basta o bebê sair, a dor parar pra que a ideia de uma nova gravidez apareça novamente :)
Eu não sei se vou envelhecer aqui, eu não sei se quero envelhecer aqui... na verdade quanto mais velha eu vou ficando mais eu vou questionando as minhas escolhas. Não que tenham sido ruins, mas é que todas escolha tem dois lados e um dos lados que mais tem pesado ultimamente é a distância da família.
Vejo isso claramente na minha filha, o quanto ela sente saudade da família no Brasil. Outro dia ela me disse que queria viajar pro Brasil pq ela sentia que tinha um buraco dentro dela como se faltasse alguma coisa.
Esse buraco é a saudade que ela não sabe que tem.

Que Deus abençoe a nossa semana, as nossas escolhas e nos dê sabedoria para agradecer pelo que temos e não sentir muito pelo que não temos.

domingo, 28 de janeiro de 2018

O tsunami que não chegou

Oi gente, graças a Deus vencemos mais uma semana, não é? Mas a que passou teve um toque todo especial :)
Tô eu dormindo as 2:30 da manhã da terça passada quando o meu telefone começou a tocar. De primeira eu achei que era alguma cliente do Brasil que não tinha se tocado com o fuso horário já que estamos com uma diferença de 6 horas, então 2:30 aqui são 8:30 no Brasil. Como o telefone não parava de tocar eu atendi e era uma amiga que mora na mesma cidade que eu.
Na hora eu pensei que alguém estava passando mal ou tinha sofrido uma acidente, pq eu ouvi ela falando para os filhos pegarem os documentos. Quando ela notou que eu tinha atendido ela me disse que estava vindo um tsunami e que era pra eu pegar minhas coisas e sair da casa! Isso mesmo que vcs estão lendo!!! Tsunami!!!
Eu, meio tonta de sono, fui falando e indo pra janela: como assim tsunami??? Vc tem certeza disso??? e ela me disse: Renata, não pestaneje, não pense. Pegue suas coisas e saia daí logo!
Eu: okay, tá...
Nesse momento eu liguei para uma amiga em North Vancouver que não dorme. Ela sempre está fazendo alguma coisa e fica altas madrugadas acordada. Ela é que acompanha todas as nossas amigas grávidas até o hospital pq ela sempre está acordada e em alerta! Ela sempre tem estoque de comida e água prontos para caso tenha terremoto, então se tem alguma coisa acontecendo ela vai saber... mas nesse dia ela estava dormindo :) Eu liguei e perguntei: Si, que história é essa de Tsunami??? E ela: Não tô sabendo! Peraí que eu vou checar e te digo.
Nesse meio segundo que ela desligou eu já acordei meu marido e comecei a pegar os documentos.... então ela me liga: É verdade! Sai daí agora!!!
Como assim???? Eu olhava pra janela e não via nada, nem vento e nem chuva... como assim tsunami??? Mas dentro de mim eu pensei: Renata, se essa cidade inunda vc vai ficar ilhada e não vai poder sair.... Okay, vamos ser cautelosos e agir como brasileiros que somos :)
Nisso a notícia foi espalhando e as pessoas começaram a postar nos grupos do Whatsapp e a ligar uns para os outros. Eu liguei pra minha irmã e ela não atendeu, liguei pro marido dela e ele ficou meio sem acreditar mas foi falar com minha irmã. De primeira ela disse que não ia sair, mas depois ela pensou nos filhos pequenos e mudou de ideia.
Nisso um outro amigo entra no whatsapp e pergunta se a ameaça era real e um cunhado dele do Brasil aparece no grupo dizendo que a notícia já estava nos jornais do Brasil e que era pra ele se cuidar.... enfim, a notícia já estava mundo a fora!
Enquanto meu marido foi se pentear, escovar os dentes, se arrumar CALMAMENTE, enquanto eu saia doida atrás das coisas eu consegui ver no Facebook que o alarme era real e o risco de Tsunami foi devido a um terremoto no Alaska.
Mas o problema é que Vancouver não é preparada para essas coisas, apesar de estar na área de risco, e a gente não sabia ao certo pra que lado ir. As pessoas me ligavam perguntando pra onde ir e eu sem noção! A única coisa que a gente sabe é que as ilhas sofrem o maior impacto, nós não corremos muito risco, porém a minha cidade é abaixo do nível do mar, portanto, pode ter alagações.
Uma amiga bem próxima me ligou e o ex-marido dela no Brasil nos deu a orientação de onde ir. Ele é daqueles caras bem estudiosos e já tinha pesquisado sobre tudo isso no tempo que esteve aqui.
Saímos de caravana de Richmond e fomos para o alto de Burnaby. Alguns não se assustaram e não quiseram sair, não colocaram muita fé, mas eu só lembrava que quando os aviões dos terroristas atacaram as torres gêmeas em NY muitos morreram pq ficaram esperando direcionamento dos policiais. Lembrei do pessoal do Japão que foi pego pelo tsunami no meio da rua enquanto andavam e dirigiam como se não tivesse acontecendo nada.
Eu penso que nós brasileiros não temos costume dessas coisas e temos que ficar espertos e ser cautelosos. 
Graças a Deus o alarme de tsunami não deu em nada e nós voltamos pra casa as 5:30 da manhã depois de darmos muitas risadas.
No dia seguinte muitos noticiários estavam questionando a falta de um sistema de alarme que possa alertar a comunidade em caso de uma ameaça real, porque se de fato o tsunami tivesse vindo muitos teriam sido pegos de surpresa dormindo, mas eu e meus amigos brasileiros teríamos visto tudo de camarote.
Meu conselho para quem mora aqui é não desligue o celular nunca, tenha seus documentos organizados caso precise sair correndo, tenha amigos que lembrem de vc e não espere pelo governo, principalmente se vc tiver filhos.
Uma semana abençoada para todos nós e que Deus nos guarde dos tsunamis e terremotos desse lugar! :)

https://www.theglobeandmail.com/opinion/is-british-columbia-really-ready-for-a-tsunami/article37742612/